sexta-feira, 24 de abril de 2015

#1570

 
Tu e eu não somos uma coisa fácil. Não somos simples. Somos retorcidos no nosso querer. Ludibriamos a nossa vontade. Mascaramos o nosso querer. Revolvemos as nossas saudades. Calamos o apetecer.

Tu e eu não somos uma decisão de ânimo leve. Não somos conversas fáceis. Não somos calmaria e sossego. Não somos ideias claras. Não somos respostas e sorrisos.

Tu e eu somos nós. Desejosos. Teimosos. Rec
eosos. Curiosos. Um turbilhão que desassossega o outro. Uma imensidão que ao outro avassala. Somos perguntas caladas e pensamentos de vontade. Dúvidas presentes e convicções aparentes. Obstinados. Apaixonados. Quietos. Calados.

Tu e eu.
Apenas (teimosamente) nós.
A sós.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

#1569



O abraço que sossega.
O beijo que acalma.
O olhar que sorri.
O colo que mima.
O silêncio que dá paz.
Um abraço longo e apertado.
Um beijo calmo e sossegado.
Mãos dadas e um afago.
Hoje, era só isto....
Nada mais que isto.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

#1568



Apaixonarmo-nos é fechar os olhos àquilo que não gostamos.
É esquecermo-nos das frases ditas que preferimos não ouvir.
É fazermo-nos desentendidos quando as atitudes não são o que pretendemos.
É querermos alguém para lá da razão.
É saber quem faz parte de nós e o vazio que ela cria quando se ausenta.
É (não) termos plena consciência do que merecemos.
É complementarmo-nos na mente de alguém.
É (querer) saber de cor o outro.
É deixar uma parte de nós com alguém.
É desejar ser tudo isto para o outro.

Espera, enganei-me. Isto é amor. Paixão é outra coisa.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

#1566



Gosto que cuides de mim.
Eu sei, eu sei, sou a perfeita demonstração da mulher desembaraçada, desenrascada, independente e que tudo sabe!
Mas gosto que cuides de mim!

Gosto que me perguntes como foi o meu dia. Gosto que me chateies o juízo porque sou despaçarada. Que me lembres se desliguei as luzes todas. Que me digas que não posso andar descalça no Inverno! Que vás ao supermercado comprar aquelas coisas-que-todas-as-gajas-precisam-todos-os-meses! Que me obrigues a tomar um comprimido quando espirro!
Gosto que cuides de mim. Mesmo que reclame sempre!

domingo, 19 de abril de 2015

#1565



Quando não há razões. Quando não há explicações. Quando nem se sabe exactamente o porquê. Quando não é lógico, nem acertado. Quando não é racional, nem pensado.

Quando é e pronto. Sem vastas explicações ou razões complicadas. Quando é intuído. Quando sem saber, sabe-se. Quando se quer. Quando se quer ainda mais um pouco. Quando o muito nunca chega. Quando do pouco se aproveita muito.

Quando...

sábado, 18 de abril de 2015

#1564


Apetecia-me um beijo. Daqueles de parar o trânsito. Dos que nos fazem esquecer que estamos no meio da rua.

Apetecia-me um beijo. Que arrebata. Que apaixona. Que ataranta. Que turva o pensamento e descompassa o coração.

Um beijo. Apetecia(s)-me.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

#1563


 
E tens-me na tua mão.
Tens o meu coração na tua mão!
Sabes que te pertence a ti e ninguém mais.
Tens-me na tua mão.
Nem precisas de a fechar, sabes que não fujo e não tenciono ir a lugar algum.
O meu coração ontem era teu.
Amanhã continuará a ser.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

#1562


 
Um bom dia preguiçoso.
Vagaroso.
Em câmara lenta.
Quase adormecido.
De olhos fechados ainda.
Preciso de um beijo para acordar, meu amor...